terça-feira, 08 novembro 2022 20:18

Encontro com o autor António Souto

Classifique este item
(1 Vote)

Depois das muitas iniciativas em torno da Biblioteca Escolar no MIBE, o mês não poderia ter terminado de melhor forma: recebendo António Souto, antigo professor da Escola, que se aventurou no mundo da escrita com obras como, Também há cores na escuridão e O sol na minha mão, encontrando-se no prelo um terceiro título.

Acompanhados pelos professores, estiveram a assistir à sessão as Turmas 10.º A, C, D e o 2.º A, que tinham tomado contacto com a primeira obra do autor.  

O docente e autor assume-se como um professor de Português que tem na escrita um passatempo. A sua ligação a esta Biblioteca, à frente dos destinos da qual esteve alguns anos, atestam o seu apego aos meandros do livro e da leitura. No seguimento das palavras introdutórias da Professora Bibliotecária, António Souto sublinhou a importância de corresponder aos apelos para a vinda à Biblioteca e usufruir deste espaço, que constitui o coração da escola. 

Desde pequeno que Souto sonhava escrever, contudo pensava fazê-lo mais tarde, quando se reformasse. Esse sonho ainda estaria adiado, não fora um acontecimento pessoal que precipitou a sua incursão na escrita. O autor admite que a escrita resulta de um trabalho aturado de investigação e pesquisa de informação, aliado à imaginação, à experiência de vida e às várias leituras que foi fazendo. Dos múltiplos benefícios que a leitura traz, Souto salienta que “ler capacita-nos a colocarmo-nos no lugar do outro, a compreendê-lo melhor, algo tão necessário numa sociedade tão individualista como a nossa”. António Souto alertou ainda para o facto de que “cada vez que lemos o mesmo livro, em épocas diferentes da nossa vida, descobrimos algo novo, porque o leitor reflete-se nas leituras e vice-versa", porque a pessoa que o leu da primeira vez, já não é a mesma, logo o leitor não é o mesmo. Souto deixou o repto aos alunos de nunca desistirem de ler/reler ao longo da vida, inclusive livros de que não gostaram muito. 

A sessão prosseguiu agradavelmente, a partir das questões levantadas pelos alunos em torno da sua escrita e do livro Também há cores na escuridão, que nos transporta ao Portugal pré 25 de abril de 74, aos anos da perseguição política e da privação das liberdades essenciais.

Com a promessa de aqui voltar para dar a conhecer o seu próximo livro, António Souto deixou a pairar a vontade de conhecer o destino da personagem Mariana, o que facilmente se resolve com uma visita à nossa Biblioteca. Fica o convite! 

Lido 254 vezes