segunda-feira, 25 novembro 2019 09:38

“Milho Rei” – Da Produção ao Consumo

Classifique este item
(0 votos)

A turma do 1.º ano do Curso Profissional Técnico de Turismo Ambiental e Rural realizou, no dia 22 de novembro, uma saída pedagógica ao moinho d’água localizado na margem direita do ribeiro de Santa Marinha, no lugar de Santa Marinha, na freguesia de Nespereira, do nosso concelho.

A visita foi conduzida pelo Senhor Presidente da Junta de Freguesia, Mário Leitão, que teve a amabilidade de não só nos descrever e expor o funcionamento do moinho, como também de exemplificar todo o processo de moagem. O diálogo foi frutuoso, com os nossos alunos a questionarem o anfitrião e este, em perfeita sintonia com a curiosidade dos neófitos, a dar largas ao seu conhecimento e às suas recordações de tempos idos, que tão valiosas se revelaram para o conhecimento dos usos, tradições e costumes do nosso povo.

Com o alongar da conversa, ficamos igualmente a conhecer o processo ancestral de troca e cobrança da maquia pelo moleiro. A utilização de cada tipo de milho obedecia a um critério, de acordo com a utilização que lhe seria dada. Assim, para as painças é melhor o milho redondo e duro, tradicional destas bandas e para o pão o milho híbrido, que é mais mole e “dá menos trabalho a picar as mós”. E acrescenta, em jeito de justificação: “nem tudo o que é novo é mau”. Curiosamente, também ficámos a saber que as galinhas preferem o milho tradicional e que não será por serem conservadoras das tradições, mas, sim, por herdarem a genética de quem sempre comeu grãos redondos.

Com o desenvolvimento desta atividade, pretendeu-se sensibilizar os nossos alunos para a importância do pão e das tradições que lhe são inerentes, assim como a sua importância para a alimentação tradicional dos residentes deste concelho, com fortes tradições no cultivo e processamento dos cereais.

Lido 82 vezes Modificado em segunda-feira, 25 novembro 2019 09:42